Carlos Brito, brasileiro, é formado em Engenharia Mecânica na UFRJ e tem MBA em Stanford, foi CEO da Ambev e, atualmente, é Presidente da Anheuser-Busch InBev, na qual Ambev faz parte.

Em bate-papo na Endeavor – Brasil Júnior (ago/2012), ele inicia falando a respeito de qualidade, processos e resultados e a relevância desses três fatores no aspecto empresarial. Sonhar grande também é de grande importância e este sonho, dito impossível, só é valorizado se tiver credibilidade e for compartilhado dentro da companhia.

Em relação aos resultados, Brito comenta que eles são o que move a empresa, mesmo sendo cruéis – pois demonstram o que a empresa está ganhando e perdendo, de acordo com as escolhas do consumidor. Além disso, o foco em resultados deve considerar dois fatores: o centro de urgência (o mercado não espera e as decisões de compra estão ocorrendo o tempo inteiro) e a capacidade de se indignar (o resultado ruim deve incomodar as pessoas, para que elas saiam da zona de conforto).  Enlaçando com esta linha de pensamento, ele também apontou que a InBev possui 5 metas importantes e bem definidas, as quais não foram reveladas.

Brito fez alusão ao ambiente de meritocracia presente na InBev, que oferece mais exposição, melhores salários e oportunidades aos que “carregam a empresa” mais do que os outros, e que a liberdade de expressão está sempre presente. Explicou a distinção entre ciclo virtuoso e ciclo vicioso e enalteceu a simplicidade na forma de agir, característica das pessoas inteligentes e talentosas.

Posteriormente, no debate realizado, Carlos Brito responde perguntas sobre o estilo abrasivo considerado integrante na empresa, a questão da qualidade de vida dos funcionários, como a empresa lida com pressão no trabalho, relacionada ao tempo e a possibilidade que os funcionários têm de ser criativos.

Em resumo, Brito procura para a sua empresa gente boa, cultura proativa, resultado, foco (5 metas), líder (que é aquele que bate meta com a equipe), estar no campo e fazer contas (pensar antes de agir). E deixa o recado de que a receita funciona para quem começa na empresa, e que os 13 anos do programa de trainees, realizado pela empresa, busca a contratação de pessoas jovens para que desde cedo elas se desenvolvam dentro da empresa.

Colabora com este post Galadriel Sophya Blaskovski.

About these ads