Documentário americano de 2005, dirigido por Alex Gibney.

Um estudo sobre um dos maiores escândalos corporativos da história dos Estados Unidos, em que executivos da Enron, a 7ª maior companhia do país, fugiram com bilhões de dólares e deixaram acionistas e investidores sem um único tostão. Através de depoimentos e gravações é mostrada como funcionava a hierarquia interna na Enron.

Quem acompanhou de longe a falência da Enron pode encontrar no documentário Enron – Os mais espertos da sala (Enron: The smartest guys in the room, 2005) um bom passo-a-passo do caso. Quem já conhece todos os pormenores das fraudes contábeis, da valorização da companhia na Bolsa, das patifarias de distribuição de energia, ainda assim pode se estarrecer com o filme de Alex Gibney.

A qualidade de Os mais espertos da sala é fazer o feijão-com-arroz sobre o assunto Enron, com alguns arrojos, como o trecho que explica o blecaute californiano. Trata-se do momento em que a fome dos operadores se tornou mais monstruosa. Para valorizar as tarifas de energia, alguns deles gatunamente mandaram desligar, por alguns minutos, uma ou duas fábricas geradoras no Estado, maneira de fazer o preço disparar em segundos – a manobra falhou e inflamou o problema da distribuição que resultaria na queda de força. Na edição, Gibney intercala conversas telefônicas entre os operadores, esculachando os californianos, com cenas de queimadas e caos nas ruas. Demoniza os documentados, sim, mas eles merecem.

Para Refletir (Artigo Planeta Educação)
Por: João Luís de Almeida Machado

1- Não existe dinheiro fácil. Desconfie de qualquer oportunidade de ouro que lhe seja apresentada. “Esmola demais o cego desconfia”. Essas são apenas algumas das lições que me foram dadas ao longo de minha vida por meus pais. Nunca as esqueci e acredito realmente que não há vitória que possa ser obtida sem suor, dedicação, empenho, estudo, planificação. Será que estamos nos lembrando de alertar a nova geração dos riscos que existem nos atalhos da vida? Quantas vezes paramos para não apenas dizer essas frases de efeito, mas também para demonstrar através de exemplos que o mundo não foi feito em apenas um dia e que, certamente, a construção de uma carreira e de uma vida de êxitos irá demandar algum tempo? Se ainda não fez isso ao dialogar com seus filhos, não perca tempo, ensinamentos como esses não podem estar ausentes do legado que temos que dar para nossos herdeiros.

2- Estudar a Enron, a Crise de 29 e todos os momentos em que a especulação abalou as bases do sistema capitalista é uma necessidade. Vivemos nesse sistema e se não o compreendermos em suas minúcias passaremos por novos e ainda mais delicadas situações. Nesse sentido é importantíssimo que peçamos aos nossos alunos um mapeamento da história do capitalismo e das rupturas e quebras ocorridas ao longo do caminho. Começar com subsídios da atualidade é sempre interessante por despertar aos olhos dos estudantes uma proximidade que torna a questão mais premente e viva…

3- Fraudes, malandragem, jeitinhos, corrupção e todos esses desvios de caráter devem ser discutidos na escola. Vivemos num mundo onde os valores cada vez mais são fixados a partir de bases alheias ao controle dos pais e da escola. Novelas, filmes, sites da internet, celebridades sem escrúpulos, políticos corruptos e safados e tantas outras pessoas e meios tem sido muito mais presentes na formação de nossas novas gerações do que os professores ou os próprios progenitores. Discutir essas temáticas com conhecimento de causa, pautados numa visão de mundo ética e correta, pregando valores como a honestidade e a solidariedade é dever e obrigação de todos aqueles que ainda acreditam que o mundo pode e deve ser muito melhor no amanhã…

Anúncios