George Soros é um dos mais famosos operadores dos mercados internacionais, nascido na Hungria, estudou na Escola Londrina de Economia, em 1952. Enquanto era estudante, tinha interesse pelo trabalho do filósofo Karl Popper, o qual influencia suas atividades profissionais e filantrópicas. Aos 26 anos, Soros foi viver nos Estados Unidos e geriu um fundo de investimento internacional, que acumulou grande fortuna. Soros juntou 8 bilhões e meio de dólares investindo e especulando em geral contra a corrente, em um momento de desequilíbrio nos mercados financeiros. Além disso, em 1992, ficou famoso quando apostou contra o banco da Inglaterra, que ao ter de desvalorizar a libra esterlina deu a Soros o lucro de 1 bilhão de dólares em apenas um dia.

O investidor sempre buscou financiar ações que pudessem mudar o mundo, alguns exemplos foi quando financiou os ativistas contra o Apartheid na África do Sul; ajudou nos anos 80 sindicatos independentes que lutavam contra o regime comunista na Polônia; financiou e dirigiu ONGs e movimentos políticos democráticos na fase final da dissolução da União Soviética, entre outros acontecimentos.

Na entrevista, Soros comenta sobre a sua preferência em falar a respeito de política, ao invés de dinheiro,  sobre a sua luta contra o aquecimento global, e vê o etanol como uma opção limpa, mas que a civilização está em jogo. Além disso, fala a respeito do uso da razão no sobe e desce na bolsa de valores, e alia o mau uso da razão ao Governo Bush, relacionado à manipulação política. Finaliza dizendo que é um filósofo fracassado, mas que deseja contribuir com a humanidade através de ideias, ao invés de sua fortuna.

Colabora com este post Galadriel Sophya Blaskovski.

Anúncios