Este vídeo explica de forma simples um dos mais importantes conceitos de economia: o crédito. Assisti-lo é tarefa obrigatória para quem pensa em investir, já investe ou deseja abrir uma empresa.

Sempre que você compra ou vende algo, realiza uma transação. A quantia total destes gastos conduz a economia. E por isso mesmo, compreender o conceito de crédito é a parte mais importante da economia – e provavelmente a menos compreendida.

É o crédito quem produz os ciclos, porque no momento em que algum débito está sendo pago, a pessoa, para efetuar o pagamento, diminui momentaneamente o consumo. Ou seja, sempre que você empresta, automaticamente cria um ciclo. Isso vale tanto para pessoas quanto pra a economia como um todo.

Se não houvesse crédito, a linha de crescimento seria permanentemente reta (sem oscilações), conduzida apenas pelo crescimento de produtividade. Ou seja, cresceria mais o país que produzisse mais, automaticamente, até um nível de consumo que a população não aguentasse mais consumir – ou os cidadãos, produzirem. Com o crédito, não: você traz inovação a sua companhia, estimula novas áreas, compra novas máquinas, desenvolve equipes e, por consequência, numa visão macro, o mesmo ocorre com a economia do país.

Por ser movida pelo crédito, a economia vive ciclos. Basicamente estima-se ciclos de 5 a 8 anos, que acontecem de novo e de novo por décadas. Isso ajuda a explicar porque, em alguns momentos, a economia tem uma leve desacelerada, o que não necessariamente é indicativo de sinal ruim – desde que as contas estejam sendo pagas e os investimentos, realmente realizados.

Por isso, fica a mais importante dica!
Pense por que está tomando crédito. Se você está construindo, estimulando mais crescimento, isso é bom. Se está apenas consumindo pro consumir, não. Simples assim.

Outras 3 preciosas dicas para empresas e pessoas físicas
1. Não deixe os débitos crescer mais do que as receitas, porque o débito com o tempo irá quebrá-lo.
2. Não deixe as receitas crescerem mais rápido que a produtividade, porque em algum momento você se tornará não competitivo.
3. Faça tudo o que puder para aumentar a sua produtividade, porque a longo prazo, será o mais irá contar.

Governos: 4 dicas para enfrentar uma crise de desalavancagem
1. Corte as despesas
2. Diminua as dívidas
3. Faça redistribuição de renda
4. Imprima dinheiro
Mas, lembre-se! Faça os quatro pontos de forma extremamente equilibrada.

Acomode-se bem, pegue o seu caderno de anotações e planos e bom vídeo!

Anúncios