Em tempos de crise, sempre se procura uma luz guia em meio à escuridão do caos. Casos de sucesso podem trazer lições valiosas. Esse é o caso do vídeo de hoje, que conta um pouco da história de um dos maiores e mais visionários empresários do Brasil, o talvez não tão conhecido Senor Abravanel; o conhecido Silvio Santos.

Fazendo um rápido paralelo com outro grande homem de negócios, o americano Warren Buffett – que fez sua primeira compra de ações aos 11 anos -, Silvio Santos começou cedo. Em 1945, na cidade do Rio de Janeiro, Silvio (na época ainda menor de idade) começou a ganhar seus primeiros trocados apostando em jogadores de sinuca de um bar conhecido. Como era atento ao mundo a sua volta, um dia Silvio observou um vendedor de rua que conseguia vender muito mais que seus concorrentes (e o que ele vendia eram apenas canetas). Silvio então, começou a fazer o mesmo. Depois de descobrir o fornecedor de canetas, começou a utilizar seu carisma e voz para trabalhar como ambulante nas ruas do Rio, mas, como sempre, foi além. Silvio Santos utilizava truques de mágica para encantar e prender a atenção de seus potenciais clientes, fazendo dele um sucesso instantâneo.

Após perder toda sua mercadoria em uma apreensão, Silvio identificou outro negócio nas antigas barcas que faziam a travessia Rio-Niterói. Rapidamente criou um verdadeiro rio de dinheiro, transformando todas as barcas em bares dançantes flutuantes e tornou-se o maior distribuidor de cerveja do Rio de Janeiro.

“- Como se ganha tanto dinheiro, Silvio?

– Trabalhando. Trabalhando e seguindo aquilo que um dia um grande filósofo escreveu uma vez em um livro: Se ganha dinheiro com 10% de inspiração e 90% de transpiração. Só!” – Silvio Santos.

Devido a seu sucesso no Rio, Silvio Santos foi convidado a conhecer a cidade de São Paulo e lá ficou. Silvio possui um verdadeiro talento para criar negócios interligados. Depois de passar por rádios e pela TV Record, graças a sua criatividade (e a bons parceiros de negócio), criou mais de 40 empresas para sustentar todos os seus negócios, tornando-se dono de uma emissora de televisão (SBT), de uma concessionaria de veículos, de uma construtora, de uma financeira e até de um banco (Banco Panamericano).

O que essa história pode trazer para a realidade do mercado financeiro? A resposta: boas ideias! Em tempos de crise, é preciso inovar, pensar diferente, arriscar. Silvio Santos nunca planejou ser banqueiro ou ter uma emissora de TV, mas soube aproveitar e também criar ótimas oportunidades de negócio e com isso criou um patrimônio que já chegou a representar mais de R$ 2 bilhões.

Foto: divulgação

Crises e quedas sempre irão acontecer porque o mercado financeiro é cíclico e imprevisível. Saber aproveitar as mudanças e utilizá-las a seu favor é o que fará a diferença entre um sucesso duradouro e um fracasso falido.

As oportunidades estão aí e se não vê nenhuma, cria a sua própria.


Escrito por Larissa Moutinho, jornalista MTB 6805, assessora responsável pela comunicação da TORO Investimentos. Foi editora da Revista ADVFN e jornalista da InvestMais. Pós-graduada em marketing e pós-graduanda em finanças.

Anúncios