A caderneta de poupança já não é mais o método preferido pelo brasileiro para guardar dinheiro. Com os rendimentos em 5,9% no acumulado até agosto, a poupança está rendendo menos da metade em relação a outras alternativas, como os títulos públicos e os Certificados de Depósitos Bancários (CDBs), que chegam a entregar rendimentos de até 12%, e as letras de crédito, com 13% de retorno.

Some-se a isso o fato de que a inflação medida no mesmo período foi de 7,58% (IPCA), o resultado é que a poupança está com rendimento negativo. Ou seja, colocar dinheiro hoje em poupança é perder dinheiro, poder de compra.

E o brasileiro está mais atento ao retorno de seus investimentos. As retiradas batem recorde desde o início do estudo do Banco Central, em 1995. De janeiro a setembro, somam 53 bilhões de reais, mais do que o dobro de todo o valor depositado na caderneta de poupança durante todo o ano passado.

Tabela de rendimento da renda fixa
Caderneta de poupança: 7%
CDBs: 12%
Títulos públicos: 12%
LCIs: 13%
LCAs: 13%

André Chede, sócio-diretor da TORO Investimentos e planejador financeiro explica, em entrevista ao RIC Notícias da TV Record no Paraná, porque isso acontece: “Como os juros vem subindo e a poupança é um investimento fixo, as outras alternativas vem acompanhando essa alta dos juros, entregando melhores retornos para o investidor.”

Já quem cogita investir em risco e está de olho nos altas oscilações no dólar e euro desde o ano passado, deve lembrar que este é um investimento de risco e que oscila conforme o comportamento de mercado. Augusto Tosin, gerente de câmbio da Câmbio Curitiba revela que o a hora é de: “esperar momentos melhores para acabar investindo melhor.”

Fonte: RICTV

Anúncios