Um toque cômico para tratar um assunto denso, é dessa forma que o diretor Adam McKay guia a trama indicada a cinco Oscar A Grande Aposta (The Big Short). Baseado no best-seller número 1 na lista do New York Times, The Big Short: Inside the Doomsday Machine, de Michael Lewis (publicado no Brasil como A Jogada do Século), o longa fundamentado em fatos reais apresenta, por meio de histórias paralelas, aqueles que descobriram a brecha para ganhar dinheiro nos erros do sistema.

A Grande Aposta inicia alguns anos antes da bolha imobiliária que explodiu nos EUA em 2007. A história aborda um grupo de homens do mercado financeiro, que em histórias paralelas descobrem a iminente derrocada do sistema imobiliário americano.

O gestor financeiro Michael Burry (Christian Bale) – homem de pouco trato social, olho de vidro, um fervoroso gosto por Trash Metal e uma capacidade matemática incrível – descobre tempos antes da crise que ela iria acontecer. O personagem então decide fazer algo pelo qual foi julgado no mínimo insensato: criar um instrumento financeiro para apostar contra o mercado imobiliário. O mesmo considerado até então um dos mais seguros e consolidados investimentos.

Mas quais as consequências de um investimento tão difícil de explicar para os investidores, ainda mais em um momento onde tudo parecia ir tão bem?

A grande jogada

A-Grande-Aposta

Além de Burry, o corretor Jared Vennett (Ryan Gosling) também percebeu a situação em que se envolvia o sistema imobiliário dos Estados Unidos. Ele então contata o traumatizado gestor de fundo Mark Baum (Steve Carrel), de forte personalidade e que carrega consigo o trauma do suicídio de seu irmão.

Mark Baum e sua equipe desconfiam da situação, que parece improvável de acontecer, frente ao absurdo que essa acarretaria. Afinal, ninguém até então havia ido contra o sistema! Mas a investigação os leva a cada vez maior desconfiança de um colapso. Motivo: muitas das hipotecas imobiliárias estavam sendo feitas sem a mínima avaliação dos bancos em relação aqueles que pediam empréstimo.

Mas quem ousaria não pagar a própria hipoteca? – Essa era a pergunta que ouviam repetidamente no mercado.

Paralelamente, dois jovens recém-iniciados no mercado financeiro descobrem por acaso o mesmo fato, no entanto sem capital e os contatos certos para investir. Buscam então auxílio de um antigo guru do mercado financeiro, Ben Rickert (Brad Pitt), que optou por deixar o mercado, devido ao perfil crítico em relação ao sistema.

Conforme a situação se desenrola, evidencia-se que a influência do subprime era ainda maior do que a imaginada. A corrupção envolvida nas organizações fica destacada, principalmente as agências de risco, que atribuíram classificações altíssimas, como AAA, consideradas as mais seguras do mercado aos títulos das hipotecas.

As políticas de facilitação de crédito, feitas pelo governo dos EUA, também ajudaram a aumentar a bolha, pois não havia certeza alguma de que as hipotecas – criadas sem prévia certificação –  seriam honradas, e como mostra a história, realmente não foram.

Chega de spoilers. Para quem investe, o filme é de extrema importância e, ao lado de Margin Call – O dia antes do fim, ilustra os erros e negligências que foram cometidos tanto pelas instituições governamentais quanto pelas financeiras, culminando na crise de 2008. Um filme para aproveitar nos cinemas este mês e debater depois com os amigos investidores.

Além de A Grande Aposta

Depois de assistir, vale muito conferir os extras no site oficial de A Grande Aposta: thebigshortmovie.com, como a entrevista do diretor do filme, Adam McKay com economistas de algumas das principais universidades norte-americanas.

E como motivação a mais, confira o comentário de Paul Krugman sobre o filme:

“Creio que o filme faz um excelente trabalho em mostrar de maneira divertida as trapaças de Wall Street… ele mostra corretamente as partes essenciais da crise financeira.”

Escrito por Larissa Moutinho, jornalista MTB 6805, assessora responsável pela comunicação da TORO Investimentos. Foi editora da Revista ADVFN e jornalista da InvestMais. Pós-graduada em marketing e pós-graduanda em finanças.

Anúncios