Recentemente, o Reino Unido votou pela saída da União Europeia (UE) em um plebiscito acirrado. O assunto tem sido discutido em todas as mídias e as consequências desta separação ainda são incertas

O filme Brexit expõe o lado daqueles a favor da saída dos britânicos da UE, mostrando os argumentos que corroboram a sua ideia, baseados principalmente na perspectiva de um horizonte de maior liberdade econômica.

A grande intenção do filme é mostrar como a UE é um paraíso para políticos e burocratas, proporcionando poder a uma instituição sem que ela precise prestar todas as contas que um governo “normal” necessitaria fazer.

Os motivos

O principal problema exposto em Brexit diz respeito às limitações impostas pela União Europeia. Tais limites acabam diminuindo a competitividade econômica do Reino Unido. É possível relacionar esse fato a burocracia exacerbada (marca registrada da UE), composta por sete instituições principais, dentre elas: o Conselho Europeu, o Conselho da União Europeia, a Comissão Europeia e o Parlamento Europeu.

Outro argumento é a comodidade daqueles que são beneficiados pela UE, seja por classe social ou como empregado. De acordo com o grupo contrário a UE, os subsídios quase ilimitados garantem o apoio de grande parte da população, o que, na opinião da oposição, dificultou ainda mais a clareza de julgamento dessa parte da população.

Por fim, as inúmeras tarifas e acordos com a União Europeia, prejudicam o comércio externo com o restante da Europa, Ásia e também com as Américas, fator que seria modificado com a saída do grupo.

O filme Brexit coloca o espectador à expectativa do futuro econômico do Reino Unido e provoca a reflexão: Será a liberdade econômica o real motivo por trás da saída dos britânicos? Bons estudos e ótimos negócios!

Escrito por Larissa Moutinho, jornalista MTB 6805, assessora responsável pela comunicação da TORO Investimentos. Foi editora da Revista ADVFN e jornalista da InvestMais. Pós-graduada em marketing e pós-graduanda em finanças.

Anúncios