Neste vídeo, o renomado economista americano conhecido como o pai do libertarianismo, Milton Friedman, fala sobre a fenômeno econômico da inflação. Nos dias de hoje, principalmente no Brasil, pode-se ver um alto nível de inflação como um problema a ser resolvido em busca da economia saudável.

Para exemplificar, Friedman fala sobre o Japão na década de 70, quando o país sofreu uma grande recessão. Em 1973, a população japonesa foi confrontada com uma alta de preços, onde o dinheiro parecia estar perdendo seu valor. Para o economista, o governo japonês estava preparado para lidar com isso e, dessa forma, os economistas puderam relatar tudo perfeitamente ao final da recessão.

O trem sem freio da inflação

Em 1971, o montante de dinheiro começou a crescer rapidamente. Por um tempo, nenhum efeito negativo surgiu, mas no final de 72, a inflação começou a dar os sinais de que ia subir. Sendo assim, no início de 73, o governo começou a reagir com o corte de gastos e do crescimento monetário.

Assim, a relativa demora para uma reação fez com que 1973 fosse conhecido como um ano de forte recessão para o Japão, onde a inflação demorou cinco anos para voltar ao seu valor saudável. Posteriormente o Japão pode ter estabilidade econômica, mas para Friedman não há maneira de evitar esse difícil caminho.

A reação tardia fez de 1973 um ano muito difícil de recessão. A inflação caiu somente quando o governo mostrou a sua determinação em manter o crescimento monetário. Levou cinco anos para espremer a inflação para fora do sistema.

O japão usufruiu de relativa estabilidade. Mas, infelizmente, não há maneira de evitar esse difícil caminho que os japoneses tiveram que seguir antes que pudessem ter ambos: inflação baixa e uma economia saudável. Primeiro, eles tiveram que deixar uma dura recessão até que o crescimento monetário tivesse um efeito retardado na inflação.

“A inflação é como o alcoolismo, em ambos os casos, quando você começa a beber ou quando você começa a colocar dinheiro demais, os bons efeitos vêm primeiro e os efeitos danosos vêm depois. Por isso, em ambos os casos, há uma forte tentação em fazer isso, beber demais e imprimir muito dinheiro.

Quando se trata da cura é o contrário: ao parar de beber ou de imprimir dinheiro, os efeitos danosos vêm primeiro e os bons efeitos depois”. – Milton Friedman

Por isso, é de grande importância estudar e analisar diferentes casos de inflação. Dessa forma, podemos aprender grandes lições que serviram para o micro e para o macro. Assista ao vídeo e reflita sobre quais as soluções para a inflação brasileira. Bons negócios!

Anúncios