Na série de vídeos “Minutos do Tesouro”, produzidos pela TORO Investimentos, o economista e professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Carlos Decotelli, explica os pormenores do investimento em títulos públicos, o Tesouro Direto.

O que é o Tesouro?

De forma didática e simples, Decotelli explica como funciona o programa de títulos públicos do Governo Federal. O tesouro é um investimento interessante por contar com algumas vantagens, entre elas:

  • Títulos que oferecem possibilidades de investimentos variados
  • Periodicidade (ou seja, o funcionamento do Tesouro Direto é diário)
  • Amplitude de opções (comparando a outros investimentos)
  • Segurança para detentor dos títulos
  • Baixo custo
  • Suporte das agências de custódia
  • Juros flexíveis
  • Liquidez diária
  • Acesso facilitado

vmf-minutos-do-tesouro-introducao-ao-tesouro-direto

Tipos de títulos

Existem quatro tipos de títulos de Tesouro Direto:

  • Pré-fixados: estes títulos tem o rendimento fixado logo na compra, ou seja, ele irá render sempre a mesma porcentagem de juros
  • Pós-fixados: são àqueles que você saberá o rendimento somente ao final do prazo do investimento. Geralmente variam de acordo com a variação de algum índice durante o prazo.
  • Indexados à inflação: os títulos atrelados à inflação são opções escolhidas normalmente para o longo prazo. Eles pagam uma taxa pré-fixada, definida ao momento da compra, mais a inflação do período medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo).
  • Indexados à taxa Selic: a Selic é a taxa básica de juros no Brasil, a remuneração desse título é dada pela variação da taxa diária registrada entre a data de liquidação da compra e do vencimento do título. Normalmente indicado para investidores que buscam rentabilidade pós-fixada.

Isso significa mais possibilidades para adequar os investimentos de acordo com o perfil e a estratégia do investidor.

Confira mais informações sobre o Tesouro Direto nos próximos vídeos da série aqui no VMF.

“Um ladrão rouba um tesouro, mas não furta a inteligência. Uma crise destrói uma herança, mas não uma profissão. Não importa se você não tem dinheiro, você é uma pessoa rica, pois possui o maior de todos os capitais: a sua inteligência. Invista nela. Estude!” – Augusto Cury.

 

Escrito por Larissa Moutinho, jornalista MTB 6805, assessora responsável pela comunicação da TORO Investimentos. Foi editora da Revista ADVFN e jornalista da InvestMais. Pós-graduada em marketing e pós-graduanda em finanças.

Anúncios