Hélio Beltrão, MBA em Finanças pela Universidade de Columbia e presidente do Instituto Mises Brasil, fala sobre a Escola Austríaca de Economia, um conjunto de pensamentos, metodologias, que abordam não apenas economia em seu currículo, mas também direito, filosofia política, história, finanças aplicadas e investimentos. Neste vídeo, Beltrão comenta também sobre filósofos e pensadores da Teoria da Utilidade Marginal.

A escola Austríaca

Carl Menger (1840-1921) é reconhecido como o fundador da Escola Austríaca e o protagonista da Revolução Marginalista. Menger desenvolveu a Teoria da Utilidade Marginal, que defende que o valor de produtos e serviços é determinado pela avaliação subjetiva do sujeito sobre um item adicional ou marginal e não pelas matérias primas e trabalho necessários para sua produção.

Esta nova teoria refutou a ideias defendidas até o início do século XX por teóricos como Karl Marx.

A Escola Austríaca tem uma perspectiva aplicável a todas as áreas das ciências humanas e sociais – a interdisciplinaridade –, não apenas à economia. Seus fundadores e pensadores eram austríacos, mas, hoje, os ensinamento e métodos da escola estão espalhados por todo o mundo.

Assista ao vídeo e entenda as perspectivas econômicas adotadas pela Escola Austríaca e veja formas de aplicar essa teoria em seus negócios ou mesmo os benefícios que esses pensamento e metodologias podem oferecer à macroeconomia. Bons negócios!

Escrito por Larissa Moutinho, jornalista MTB 6805, assessora responsável pela comunicação da TORO Investimentos. Foi editora da Revista ADVFN e jornalista da InvestMais. Pós-graduada em marketing e pós-graduanda em finanças.

Anúncios