Começou no último sábado (8), a “segunda fase” de saques de contas inativas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Nesta etapa, os nascidos em março, abril e maio podem retirar os recursos. Ao todo, estima-se que 7,7 milhões de trabalhadores visitem as agências da Caixa Econômica Federal durante essa segunda fase.

No vídeo da Exame.com, o repórter Anderson Figo comenta sobre as possibilidades para esse dinheiro e esclarece: de acordo com especialistas da área financeira, manter esse dinheiro guardado não é interessante, uma vez que a rentabilidade do FGTS é muito baixa (atualmente em 3% a.a. mais a Taxa Referencial (TR), ou seja, inferior ao rendimento da poupança). O governo prometeu aumentar a rentabilidade para algo em torno de 5% a 6% a.a. mais a TR, mas mesmo assim, sacar esse valor e redireciona-lo para um investimento alinhado ao perfil do investidor – e com um melhor rendimento – é o mais indicado.

Algumas boas opções de investimento indicados pelo repórter são os títulos públicos do Tesouro Direto. Com os títulos pré-fixados, por exemplo, o investidor já sabe seu rendimento logo no momento da compra. Segundo especialistas, agora é um bom momento de compra desses títulos públicos porque há uma tendência de queda de juros durante esse ano e os valores de compra desses papéis podem subir.

A terceira fase de retirada de contas inativas do FGTS começa a partir de 12 de mais e poderão sacar aqueles nascidos em junho, julho e agosto.

Bons investimentos!

Escrito por Larissa Moutinho, jornalista MTB 6805, assessora responsável pela comunicação da TORO Investimentos. Foi editora da Revista ADVFN e jornalista da InvestMais. Pós-graduada em marketing e pós-graduanda em finanças.

Anúncios