Com a retomada da economia, investidores e empresários buscam alternativas para aumentar a rentabilidade. Investimentos como o Tesouro Direto tem apresentado recordes consecutivos em volume de aplicações, atraindo, por consequência, novos investimentos.

Porém, há uma dúvida comum: Qual tipo de título escolher? Para responder a essa questão é preciso compreender como cada aplicação funciona. No vídeo desta semana, o analista Roberto Indech explica as diferenças entre títulos pré-fixados e pós-fixados.

Pré ou pós: vantagens, desvantagens e diferenças

Segundo analista o que define qual o melhor título é o objetivo do investidor. Por isso a importância de definir prazos e metas. Se o melhor é aposentadoria, talvez títulos pós-fixados indexados a inflação sejam uma melhor opção, pois oferecer menores riscos de oscilação. Títulos pós-fixados como à taxa de juros Selic ou ao IPCA não garantem exatidão no rendimento final e por isso, necessitam uma análise mais precisa.

Já os ativos pré-fixados possibilitam que o investidor saiba a sua remuneração no vencimento do título já no momento de compra.

Assista ao vídeo e analise novamente seu perfil de investidor. Talvez existam outros investimentos interessantes para suas metas deste ano.

Bons investimentos!

Escrito por Larissa Moutinho, jornalista MTB 6805, assessora responsável pela comunicação da PHI Investimentos. Foi editora da Revista ADVFN e jornalista da InvestMais. Pós-graduada em marketing e pós-graduanda em finanças.

Anúncios