Inflação caindo, preços caindo… Nesse momento, a questão sobre qual a melhor forma de fazer seu dinheiro render mais com a queda da inflação surge na mente de investidores e empreendedores. Para responder essa pergunta, a repórter Tássia Kastner, da Folha, explica as melhores maneiras para aproveitar a deflação e alcançar uma maior rentabilidade com ativos e aplicações.

Inflação baixa como aliada

Para explicar o que acontece com as contas e investimentos quando a inflação cai, a repórter traz dicas de como deixar a conta corrente em uma boa situação. Kastner contextualizar com dois pontos principais:

  1. O primeiro é o IGP-M, a inflação do aluguel, que está negativa em 12 meses;
  2. e o outro é a queda do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

A aplicação desses pontos fica clara utilizando os alugueis como exemplo: com o índice negativo, os preços tendem a cair. Ou seja, para aqueles que pensam em negociar o aluguel e aproveitar essas quedas, pode ser o momento ideal.

Para os investidores, duas notícias:

  • inflação é responsável por seu dinheiro comprar mais ou menos bens a longo prazo e com esse índice oscilando pouco, alguns investimentos podem apresentar maior rentabilidade.
  • Porém, a segunda notícia é que quando a inflação cai rapidamente, significa um menor poder de compra e o banco central diminui a taxa de juros para aquecer a economia e o dinheiro acaba rendendo menos.

Compreender quais são as consequências da queda da inflação pode trazer ferramentas melhor para fazer com seu dinheiro render mais. Bons investimentos!

Escrito por Larissa Moutinho, jornalista MTB 6805, assessora responsável pela comunicação da PHI Investimentos. Foi editora da Revista ADVFN e jornalista da InvestMais. Pós-graduada em marketing e pós-graduanda em finanças.

Anúncios