Desde a invenção do conceito de “moeda”, a população foi acostumada a usar dinheiro em espécie, porém, com o avanço rápido e intenso de tecnologias elaboradas e direcionadas o mercado financeiro, principalmente no último século, a cultura financeira do mundo mudou.

Neste vídeo do Valor Econômico, Martin Wolf, analista chefe do jornal Financial Times, fala sobre os pagamentos digitais, atualmente tão populares, principalmente no setor de varejo.

A era digital

De acordo com Wolf, as cédulas de dinheiro ficaram ultrapassadas e é apenas uma questão de tempo até que deixem de ser utilizadas (e isso em escala global). O analista cita o exemplo da China, onde é possível administrar uma empresa de um iPhone.

De acordo com dados mostrados por Wolf no vídeo, o volume de pagamentos digitais na China é 50 vezes maior do que nos EUA. Outros países que também diminuíram o uso de cédulas monetárias são Bélgica, França, Canadá, Reino Unido e Suécia (que, desde 2009, diminuiu o volume de cédulas e moedas em 40%). Inclusive, há bancos na Suécia que sequer aceitam depósitos em dinheiro.

Mesmo com essa tendência, aproximadamente 2 bilhões de pessoas no mundo ainda dependem do dinheiro em espécie, uma vez que não tem acesso a bancos.

Martin Wolf comenta também sobre como economias em desenvolvimento podem se modificar para alcançar a mesma condição de gestão financeira praticada atualmente na China.

Bons negócios!

Escrito por Larissa Moutinho, jornalista MTB 6805, assessora responsável pela comunicação da PHI Investimentos. Foi editora da Revista ADVFN e jornalista da InvestMais. Pós-graduada em marketing e pós-graduanda em finanças.

Anúncios