No Dia das Crianças, pais diminuem suas economias e crianças ganham novos bens materiais, porém, esse não é o único caminho. É plenamente possível desenvolver a consciência financeira das crianças. Tudo começa com a educação financeira. Exemplos práticos na economia doméstica das famílias podem ser utilizados para que as crianças observem boas práticas financeiras e assim, tornarem-se adultos economicamente responsáveis.

Neste vídeo, a economista Yolanda Fordelone explica que a mesada é uma ótima ferramenta para introduzir a educação financeira na rotina das crianças e pode inclusive, ser um bom presente para o Dia das Crianças. Segundo Yolanda, a partir do momento em que a criança é responsável por seu próprio dinheiro, ela entende o valor do mesmo. Se a mesada acabar antes da hora é função dos pais explicar que isso significa que a criança precisa planejar melhor os seus gastos.

Para utilizar a mesada da melhor forma na educação dos filhos, alguns passos devem ser seguidos:

  • A criança precisa estar apta a realizar contas simples, ou seja, um bom momento para iniciar a prática da mesada é quando os filhos estiverem com cinco ou seis anos idade.
  • O segundo ponto é a noção de tempo, que é diferente para as crianças. Partir de uma distribuição semanal para depois passar para a quantidade mensal ajuda os filhos a entenderem melhor o conceito de gestão financeira.
  • É importante estabelecer as regras da mesada. Os pais devem explicar quais serão as responsabilidades financeiras dos filhos (ou seja, para que deverão gastar seu dinheiro) e também dar exemplos de como poupar.

A economista reforça que agir com transparência é fundamental. Por isso, envolver a criança em decisões financeiras desde cedo é ótimo. Deixar o filho pegar o dinheiro para pagar o produto que escolheu ou fazer com que decida entre dois itens com valores diferentes são outros exemplos que colaboram para que a criança tenha noções financeiras desde pequena.

Uma criança com consciência financeira tem maiores chances de tornar-se um adulto com boa saúde financeira.

Escrito por Larissa Moutinho, jornalista MTB 6805, assessora responsável pela comunicação da PHI Investimentos. Foi editora da Revista ADVFN e jornalista da InvestMais. Pós-graduada em marketing e pós-graduanda em finanças.

Anúncios