Em sua última visita ao Brasil, no início de outubro, o ex-presidente norte-americano enfatizou porque o investimento em educação é decisivo para o país ser bem-sucedido

Economistas, analistas financeiros, professores, pensadores, orientadores e consultores financeiros frequentemente reforçam a diferença que uma boa educação financeira faz para os resultados nos investimentos. No entanto, é importante enfatizar que antes de uma edução específica é necessário ter uma boa educação de base. Com esse pensamento em mente, o ex-presidente dos EUA, Barack Obama, falou sobre o quanto o investimento em educação pode colaborar (ou não) para o desenvolvimento de um país.

Durante sua última visita ao Brasil, em outubro deste ano, Obama enfatizou que o investimento em educação (principalmente na primeira infância, quando a mente das crianças funciona semelhante a uma esponja, ou seja, há uma facilidade incrível de absorver novos conhecimentos) é fator determinante o desenvolvimento econômico. “Veja Cingapura: é um país pequeno, não tem nada lá, mas seu povo é extraordinariamente bem educado e o país está indo muito bem. Mas tem muitos países grandes e com muitos recursos naturais – não vou dizer que países são esses – que estão em outra direção”, afirmou Obama.

Para o líder norte-americano, esses investimentos não podem privilegiar gênero ou raça. Obama também enfatizou que um país que educa mulheres e homens de forma desigual não se desenvolverá. “Numa favela pobre do Brasil, se você consegue dar um pequeno conhecimento para uma criança de 1 ano, 2 anos, isso significa que ela vai ser dar bem [ao longo de sua vida educacional. É importante aproveitar os anos inciais, quando o cérebro da criança é uma esponja”, exemplificou Obama.

Neste vídeo é possível conferir o discurso e a entrevista realizada com o ex-presidente Barack Obama, ambos registrados durante o Fórum Cidadão Global, organizado pelo Valor e o Santander American Airlines AAdvantage Program.

Escrito por Larissa Moutinho, jornalista MTB 6805, assessora responsável pela comunicação da PHI Investimentos. Foi editora da Revista ADVFN e jornalista da InvestMais. Pós-graduada em marketing e pós-graduanda em finanças.

Anúncios